O Que Todos os Estudantes Devem Colocar no Perfil do LinkedIn

O Que Todos os Estudantes Devem Colocar no Perfil do LinkedIn

Estás à espera de acabar o curso para depois criares uma página no LinkedIn? Talvez agora seja a altura certa e começa por saber o deves colocar no perfil do LinkedIn.

“Todos os estudantes ficam cegos para criar o seu curriculum, mas surpreendentemente muitos deles não têm um perfil no LinkedIn”, diz Natan Edelsburg, vice-presidente da Sawhorse Mídia. “Ouvia muitas vezes, ‘aqui está o meu curriculum. O meu perfil de LinkedIn não está excecional mas aqui está o link‘. Por norma respondia ‘torna-o excecional e depois volta a falar comigo!’”

Artigo Relacionado: 9 Erros Que Está a Comer no LinkedIn

30% dos recrutadores identificam as redes sociais profissionais como uma das fontes mais importantes para recrutamento. As redes sociais profissionais são também a fonte de contratações de qualidade que mais cresce.

Ainda não estás convencido? 90 empresas da Fortune 100 usam os serviços do LinkedIn para descobrir talentos e encontrar as suas futuras contratações.

“Os empregadores estão à procura de recém-licenciados”, diz Nicole Williams, especialista em carreiras no LinkedIn e fundadora da WORKS by Nicole Williams. Se estás ativo no LinkedIn como estudante universitário, “talvez possas ser identificado como estudante universitário e como um passivo potencial candidato”, diz ela. Ser identificado como “passivo” significa que os recrutadores podem encontrar o teu perfil e considerar-te para uma posição, mesmo sem teres que te candidatar.

O que todos os estudantes devem colocar no perfil do LinkedIn

Como podes construir um grande perfil no LinkedIn como estudante universitário? O que deves colocar no perfil do LinkedIn?

Coloca uma foto de perfil.

Alguns estudantes, por poderem parecer muito jovens, têm receio de colocar a sua foto de perfil no LinkedIn. Mas Williams explica que uma imagem de perfil pode funcionar a teu favor. Uma foto representa uma cara para a tua personalidade digital e ajuda os recrutadores a verem-te como ser humano, ao invés de um hyperlink.

Inclui trabalho do curso e atividades extracurriculares.

O teu perfil no LinkedIn deve contar a história do teu desenvolvimento profissional, por isso é bom que seja o mais detalhado possível. Inclui informações sobre cursos relevantes e organizações em que tenhas participado. Caso tenhas feito um estágio ou ganho experiência de trabalho enquanto estudante, sê específico sobre quais as habilidades que desenvolveste e quantas horas de trabalho.

“Parte do teu diferencial como estudante universitário é o que sabes sobre tecnologia e como construir uma marca profissional”, diz Williams. “Os empregadores querem saber se conseguirás trazer isso para a empresa”.

Artigo Relacionado: 3 Segredos dos Recém Licenciados  Altamente Bem-Sucedidos

Mostra o teu trabalho.

Hoje em dia é possível ilustrar visualmente as tuas habilidades, utilizando infográficos, fotos ou vídeos. Se tens uma apresentação da qual tens orgulho, ou um projeto de design que estás a fazer para um estágio, incluí essa informação no teu perfil para ajudar os recrutadores a visualizar o tipo de talento que poderás trás para a empresa.

Pede recomendações a professores.

Um equívoco comum nas recomendações do LinkedIn é que elas têm que vir de empregadores anteriores. A recomendação de um professor universitário ou orientador académico, especialmente com experiência na área desejada, pode ter um enorme impacto para te destacares da multidão. Tenta obter recomendações de professores que te conhecem pessoalmente ou que têm um ideia sobre a tua ética de trabalho para que possam falar especificamente sobre o teu desempenho na sala de aula.

Liga-te aos líderes da tua indústria.

Um dos aspetos mais interessantes das redes sociais é que te dão acesso a pessoas influentes na tua indústria.

Não te deixes intimidar pela influência de alguém; tenta chegar a essas pessoas cujas carreiras admiras, mas não te esqueças de personalizar o teu pedido de “amizade”.

O pedido deve incluir dois elementos, diz Williams. Primeiro, deve conter algum detalhe que cria a ligação com a pessoa. Olha para o seu perfil no LinkedIn e retira um pedaço de informação que irá ajudar-te a personalizar o teu pedido. O ideal é incluir algo que ambos têm em comum, como a cidade onde vivem ou uma partilha de artigo, etc. Se não conseguires encontrar nada com significância, tece um elogio ou um comentário respeitoso sobre o trabalho do profissional.

Em segundo lugar, deves incluir um motivo. Porque queres ligar-te com aquela pessoa? A tua razão não deve ser um pedido de emprego. Em vez disso, pede um conselho de carreira, coloca uma questão pessoal ou fala de uma habilidade que tenhas que pensas ser útil para aquela pessoa/empresa.

Após concluir a faculade, Kowalski utilizou o Twitter e o LinkedIn para se ligar a profissionais de relações públicas. Depois de estar ligado a essas pessoas, ele ofereceu os seus serviços gratuitamente.

“Queria demonstrar que era apaixonado pelo que faço e que faria o que fosse preciso para obter trabalho, não precisei de lhes dizer que estava à procura de emprego; eles sabiam porque razão eu estava ali. Eu queria ser a primeira pessoa a vir-lhes à mente quando abria uma nova posição”, explica Kowalski.

Com certeza, quando abriu uma posição na mesma empresa, as ligações de Kowalski recomendaram-no. “O meu pedido poderia ter estado na pilha dos ‘talvez’, mas uma chamada telefónica tirou-me do ‘talvez’ para a contratação”.

Comenta artigos específicos da tua indústria.

Quando partilhas artigos específicos da tua indústria estás a provar que és apaixonado, estás dentro do assunto e prestas atenção à tua carreira.

Evita incluir opiniões controversas ou pessoais no LinkedIn, a menos que queiras ver essa opinião associada à tua profissão. Em vez disso, sugere Williams, coloca uma questão pertinente. Isso mostra que não estás apenas a ler notícias da indústria mas também as estás a interpretar e a pensar sobre elas.

Coloca questões nos grupos do LinkedIn.

Os grupos do LinkedIn são uma ótima maneira de te envolveres diretamente com as pessoas do teu setor e estabeleceres-te como alguém influente ao invés de um leitor passivo.

“Uma das melhores maneiras de ser notado é provocar conversas e fazer questões inteligentes”, aconselha Williams.

O dita “não há perguntas estúpidas” pode ser verdadeiro na maioria das situações, mas sê consciente no que dizes nos grupos. Faz um pouco de pesquisa ou, no mínimo, uma pesquisa no Google antes de colocares a pergunta. Isso garante que és uma persona digital informada e as tuas perguntas terão mais impacto se não tiverem resposta fácil.

Descobre vários caminhos para a tua carreira.

O LinkedIn permite que os estudantes universitários tenham acesso a informação sobre carreiras de uma maneira que nenhuma outra geração teve. Agora, não só vês o que alguém tem feito na sua carreira, mas como ela chegou la. As pessoas ficam surpreendidas ao ver o quão pouco lineares são as carreiras de hoje em dia. E, quem sabe, ao ver o caminho que outra pessoa está a percorrer, podes sentir-te inspirado.

Certifica-te que não tens erros de escrita e gramaticais.

Como em qualquer outra situação profissional, o teu perfil no LinkedIn deve ser livre de erros. Depois de percorreres o teu perfil à procura de erros ortográficos, pede a um amigo para ler e procurar por erros que não tenhas consigo detetar.

Artigo Relacionado: 5 Dicas Para Empreendedores Ávidos de Contatos no LinkedIn

Quais os tipos de mensagens no LinkedIn que achas mais envolventes? Dá-nos a conhecer na seção de comentários abaixo.

What Every College Student Should Post on LinkedIn | Mashable

email
Pin It